poemas poemas

Movimento

Uma saudade que não existia
brota em algum deserto
e cai sedenta sobre mim.
Tem cheiro de um tempo antigo
que guarda um endereço esquecido
de uma casa miragem.
Ali, um lugar em uma cozinha
refaz a cena em meus olhos.
Tão real é a bacia cheia de milho,
as palhas sobrepostas
que nas mãozinhas firmes,
eram canoinhas amarelas--
depois a massa, as instruções para um nó.
Nada mais que momentos
da família que era minha.
No silêncio daquele trabalho repetitivo
eu ansiava por crescer.
Apenas eu não pensava
que era preciso pedir a Deus
para trazer comigo para sempre
a simplicidade daquelas horas
que eu nem sabia que eram
dunas de felicidade.

  

Seção de Poemas, © 2005 Rosa Clement