poemas poemas

Manaus, do Alto

Quando olho Manaus do alto do avião,
ela assim, toda bordada na terra,
sinto um sossego silencioso
por reconhecê-la casa.
Comparo e meço suas águas e seu verde,
e na grandeza de traços tão sinuosos,
meus olhos se perdem na beleza
e esquecem a busca
pelo mais extenso.

Rio, por conhecer bem suas ruas
e saber onde estão suas esquinas
o endereço de suas arquiteturas,
suas praias e seus chãos.
Dela, trago ainda a certeza
de que para os de fora
ela é toda mistério.

  

Seção de Poemas, © (15/11/2006) Rosa Clement