poemas poemas

Lua Cheia

Lua saída de uma fábula,
lua plana incandescente,
sai do enredo das nuvens
em frente aos meus olhos
e povoa meu quintal.

Lua deslizante, íntima
das teias de aranhas,
das malhas de arame,
das flores, dos espinhos,
das pedras, dos musgos.

Com seus dedos de raios
dá-me pose de fotografia,
tateia meu rosto,
e pincela-o com a ternura
de uma alegórica esfera.



  

Seção de Poemas, © (2008) Rosa Clement