poemas poemas

Uma Flor Para Machado de Assis

Oh! flor do céu! oh! flor cândida e pura!
aproveita esse orvalho que te banha,
que por tua beleza ser tamanha
meus olhos ficam plenos de ternura.

Oh! flor que esconde sob luz e brancura
palavras que confirmam a façanha
de poder encantar a face estranha
e preservar a espécie com bravura.

Oh! flor, se o fim é regra que não falha,
amanhã não serás mais tão viçosa
e eu testemunharei teu lado triste

sentindo teu perfume que persiste
e conta que em jornada gloriosa
perde-se a vida, ganha-se a batalha!

Publicado em: Literatura Livre



  

Seção de Poemas, © (2008) Rosa Clement