poemas poemas

Espanha

Quantas certezas pelas ruas da Espanha:
o mundo sempre foi antigo, a vida deliciosa,
sempre houve lugar pacato, o sol descobriu Sevilla.
Seguir, seguir caminhos ao som do mar,
parar para um café expresso contigo,
saborear mexilhões olhando quem passa,
deixar-se levar pelo cheiro das paellas,
apreciar o jeito com que me explicavas tudo.
E nas noites quando as castanholas
soavam nas mãos das bailarinas,
em nenhuma momento havia dúvidas
que o tempo também passava na cadência
e ritmo de uma canção malaguenha.
Entre as tantas lembranças que trouxemos
está um olé de encanto a la Espanha
e uma promessa de voltar um dia
para pisar novamente em suas areias,
sentir aquela brisa do mar reconhecida
talvez por nossos cabelos brancos.

  

Seção de Poemas, © (13/08/2005) Rosa Clement