poemas poemas

A Febre do Momento

O mosquito da dengue ganha fama
mas dribla paparazo e de rasteiro
pica sem pena o povo brasileiro
pra derrubá-lo e deixá-lo de cama.

É o país inteiro que reclama
mas parece que o inseto viajeiro
foi se instalar no Rio de Janeiro
onde se fortalece e se esparrama.

Esse mosquito não quer atenção,
mas governos ocupem os seus postos
pois o famoso vem na contra-mão

com ferrões afiados e dispostos
a tirar sangue da população,
que para ter saúde paga impostos.

  

Seção de Poemas, © (2008) Rosa Clement