poemas poemas

Apagão

A luz se foi e de repente
a noite preenche toda a casa.
Tateio paredes e móveis
visivelmente consciente do vácuo.
Escuridão é hora para incertezas
e exige reflexão
para o próximo passo.
É preciso acender velas
do jeito como fazia minha mãe
e faz minha vizinha e a outra.
Sombras também divertem
sob o poder do fogo
distribuído pelos corredores.
O reverso de tudo
está na chegada de um fusível
e nada mais.

  

Seção de Poemas, © 2005 Rosa Clement