cronica cronicas

Palavras Difíceis

No universo da escrita, a palavra difícil tem sua importância. Algumas vezes, o contexto onde ela está inserida pode ser suficiente para entendê-la, mas às vezes, para quebrar a barreira que a separa do leitor, é preciso investigá-la mais a fundo, como por exemplo, fazer uma visita ao velho dicionário. Não falamos aqui dos termos e jargões próprios de textos técnicos mas sim daquela palavra coberta por uma camada de mistério impenetrável que pode franzir a testa do leitor.

Lembro de um ex-colega de trabalho que se rendia aos encantos das palavras difíceis. Naquela época ainda se digitavam na nova IBM, as cartas, os memorandos e documentos afins, rascunhados em letras quase codificadas. Esse colega não dispensava o dicionário na hora da escrita. Abria página após página e a percorria com os dedos mostrando uma ansiedade visível quase sempre resolvida. Finalmente, uma palavra obscura saltitava do dicionário direto para o seu papel. A próxima tarefa seria datilografá-la, geralmente perguntando ao seu responsável se a grafia estava correta e em caso positivo, o que significava. Orgulhosamente, ele explicava sobre o emprego e utilidade daquela palavra. Infelizmente, parece que nada aprendi daquelas lições casuais, pois não consigo lembrar uma palavra sequer para ilustrar esse simples texto. Porém, preciso de um desconto, pois esse caso aconteceu na década de 70.

Escrever um texto regado a palavras chamadas "difíceis" certamente pode mostrar a erudição ou o grande intelecto de seu criador. Muitas vezes, um autor se apoia num léxico de conhecimento restrito ao seu nível de educação, e se o leitor desconhece o termo, no mínimo pode ficar impressionado ou ser mais radical e abandonar completamente aquela leitura. Mas uma viagem ao velho desvendador de mistérios pode resolver.

É provável que cada um de nós tenha deparado com sua palavra difícil e se esta nos levou ao dicionário, significa que nos tornamos donos de um vocabulário mais ampliado e mais rico. Por outro lado, é preciso saber discernir entre palavras possíveis e passíveis de compreensão que dão coerência, coesão e consistência a um texto. Portanto, antes de querer impressionar alguém com palavras grandiosas, é bom lembrar daquele velho ditado que diz que se a simplicidade resolve para que complicar?

Página integrante da seção de Crônicas
© 2013 Rosa Clement (12/05/09)