cronica cronicas

Denúncia Inútil

Nos últimos 15 anos fui dona de um vira-latas, muito inteligente, esperto e educado, chamado Maui, em homenagem ao deus Maui das histórias havaianas. Pois bem, meu cachorro morreu recentemente e, após o trauma, fui tentar adotar outro. Dirige-me ao Centro de Controle de Zoonoses, da Avenida Brasil no bairro da Compensa em Manaus. Infelizmente, lá a realidade pinta uma cena pertubadora e deprimente.

Quando chegamos vimos os cães maiores nas primeiras jaulas em grupos de 4 a 5. Um calor insurpotável toma conta de tudo. Os cães sentem o cheiro forte de adoção e latem desesperados, lambem o ar tentando conquistar nossa atenção. Os pequeninos ficam nas jaulas abafadas mais atrás. Escolhemos dois para adoção mas não podiamos trazê-los de imediato. A ordem é que todo cão só sai de lá após esterilização, não importa a idade, e tinhamos que esperar até o serviço ser feito. Passou um fim de semana e o feriado de Nossa Senhora Aparecida. Na terça-feira recebemos a ligação do Centro informando que os cachorrinhos que escolhemos não resistiram a cirurgia por estarem gripados e por isso todos os que estavam gripados foram sacrificados e não havia mais nenhum filhotinho para adoção. Fiquei estarrecida e frustrada com a notícia.

Eutanasia é uma palavra muito familiar para aqueles cães. se não pelo som, mas pelo cheiro dela que está impregnado em tudo. Aqueles que parecem ferozes se auto-condenam, sem chance, é só uma questão de tempo. Os seus 'carrascos' são 'inocentes', é o trabalho deles. Talvez seu perfil de trabalho exija que sejam indiferentes e frios. Infelizmente alguém precisa fazer o trabalho 'sujo' para que possamos andar e dormir sossegados. Um deles nos contou que o Centro costuma participar de feiras onde alguns animais são levados para adoção. Isso não reduziu o pesar e a angústia que senti ao ver e ouvir aqueles latidos de desespero.

Saindo de lá, fiquei sonhando em ver uma fila de gente querendo adotar um cão daqueles, tão bravo. Gostaria que mais gente tivesse compaixão. Imaginei até os lugares possíveis para ele. Quem tivesse um sítio, poderia adotar os maiores, eles ficariam agradecidos e os menores iriam vigiar as casas. Se o sacrificio desses cães serve para economizar o dinheiro público, é lamentável saber que há bandidos aqui que não dão alegria para ninguém, e ainda usufrem de mordomias pagas com o mesmo dinheiro público.

Página integrante da seção de Crônicas
© 2006 Rosa Clement (18/07/06)