crianca crianca

A Lagarta Macarrão

Rosa Clement, © 2015

Certa vez, Maria encontrou uma lagarta no quintal entre as folhas do jardim. Inicialmente, ela tomou um susto e com receio de chegar perto, se afastou. Mas logo seu espírito aventureiro a fez retornar trazendo uma vareta como segurança. A lagarta não gostava nada de ser incomodada e ora se encolhia ora se esticava, se enrolava em forma de 'S', de 'O', de 'C', parecia que tentava escrever "socorro". Enfim, ela demonstrava que não queria ser motivo das brincadeiras de Maria. Tudo o que Maria havia visto naquelas últimas horas da manhã foi essa pequena lagarta amarela e gorducha. Até que sua mãe a chamou para o almoço e vendo o que a menina estava fazendo disse:

-- Maria, deixe em paz a lagarta indefesa. Daqui a algum tempo ela será uma linda borboleta e voará, colorindo nosso jardim. Venha que o almoco esta pronto. Vá lavar as mãos e venha sentar à mesa.

Maria obedeceu e sentou na mesa toda alegre. A mãe serviu um prato de sopa para Maria. A menina tirou uma colherada mas quando ela viu o macarrão parafuso contido na sopa, só lembrava da lagarta com que ela havia passado a manhã inteira brincando. Então, sentindo um pouco de náusea Maria gritou:

-- Manhê, não quero macarrão. A partir de hoje, não gosto mais de macarrão. Nem o meu cachorro também não vai gostar. Não é, Golias?

Golias, o cachorro responde com um latido. Surpresa com a declaração da filha, a mãe diz:

-- Que história é essa, minha filha? Como que você não quer macarrão? Você gostava tanto

Ao que Maria respondeu:

--Mamãe, esse macarrão só me lembra da lagarta com que eu estava brincando...

Maria, deixe de bobagem. Esse macarrão não parece nem um pouquinho com uma lagarta. Uma lagarta tem pernas e nem é enroladinho assim. Se você não quer sopa, só tem carne assada com batatas, quer?

E assim, concordando com a mãe, Maria não almoçou a sopa. Daí por diante, todas as vezes que as refeições de Maria continha macarrão, ela se negava a comer e não adiantava a mãe insistir. Um dia, seu pai, trouxe uma lagarta de brinquedo, toda sorridente de presente para a menina. Maria gostou tanto que esqueceu que a mãe lhe servia macarrão na hora do almoço.

Brincando com Maria

Maria não quer brincar
com seus diversos brinquedos.
Ela quer mexer na terra
e poder sujar os dedos.

Ela quer correr atrás
da borboleta amarela,
que vai da grama ao arbusto
para pousar na janela.

Ela quer ver e saber
quem está dentro do ninho,
o que é que traz no bico
um atento passarinho.

Ela quer também seguir
aquela abelha atrevida
que pousou na sua mão
e depois na Margarida.

Mas ela não quer ouvir
o relógio avisar
que ja é hora do almoço
e de parar de brincar.